Armazém semiautomático: tecnologia aliada ao fator humano

O armazém semiautomático, solução logística preferida pelas empresas que não querem ou não podem optar por uma automatização completa, combina tecnologia e trabalho humano para aproveitar as vantagens proporcionadas pelos sistemas automáticos e pelas tarefas de execução manual.

Quais sistemas de armazenamento semiautomáticos estão disponíveis no mercado? Quando é adequado optar por eles e quais são seus benefícios? No conteúdo de hoje respondemos a essas perguntas.

O que é um armazém semiautomático

Um armazém semiautomático é aquele que alia soluções automáticas de armazenamento, gerenciamento ou transporte com operações manuais. Embora sejam armazéns tecnologicamente mais avançados que os convencionais, neles o fator humano continua desempenhando um papel muito importante.

Para que um armazém possa ser classificado como semiautomático é necessário que determinadas operações de intralogística (recebimento, transporte, armazenamento, preparação de pedidos, expedição) sejam realizadas com um certo nível de automatização, enquanto outros processos continuem a ser resolvidos manualmente.

7 benefícios do armazém semiautomático

A semiautomatização de um armazém traz os seguintes benefícios:

  1. Redução de erros. Previne erros decorrentes de uma operação completamente manual.
  2. Aumento da produtividade. Tanto os equipamentos automáticos quanto os dispositivos de ajuda para picking melhoram significativamente o desempenho dos operadores que trabalham no armazém.
  3. Valor agregado. Quando certos processos são automatizados, tais como o movimento da mercadoria, os operadores podem se dedicar a outras tarefas que agreguem mais valor.
  4. Redução dos custos de manutenção. O manuseio automático da mercadoria reduz o desgaste e os danos associados ao uso reiterado de equipamentos de movimentação como empilhadeiras e paleteiras.
  5. Maior satisfação do pessoal. A introdução de determinadas soluções automáticas libera os operadores das tarefas mais cansativas, melhorando significativamente seu nível de satisfação no trabalho.
  6. Aumento na segurança da mercadoria. O transporte automático da mercadoria ajuda a mantê-la em perfeitas condições.
  7. Implementação de um inventário permanente. A utilização de um Sistema de Gerenciamento de Armazém (WMS) permite identificar e controlar o estoque em tempo real. Com o histórico de movimentos pode ser realizado um rigoroso controle da rastreabilidade dos produtos.

Implementar um certo grau de automatização em um armazém tradicional ajuda a melhorar o desempenho logístico e a reduzir erros e custos operacionais.

Soluções semiautomáticas para o armazém e exemplos de aplicação

A solução semiautomática por excelência é o Pallet Shuttle semiautomático, um sistema de armazenamento compacto onde um carro motorizado se desloca pelo interior dos canais de armazenamento fazendo a carga e descarga de paletes. Dessa forma, os operadores unicamente devem colocar o palete na primeira posição de cada canal, com a ajuda de uma empilhadeira. Alisson Ferreira, gerente de Planejamento e Operações Logísticas da Coca-Cola Refrigerantes Bandeirantes (Brasil), explica as vantagens que essa solução trouxe para seu armazém: “O Pallet Shuttle nos oferece uma maior produtividade porque o carro motorizado se encarrega de transferir automaticamente os paletes pelo interior dos canais. Os operadores se adaptaram rapidamente e, desde o primeiro dia, percebo que o trabalho é realizado de uma forma mais rápida e mais segura.”

Outro recurso próprio do armazém semiautomático consiste na automatização do fluxo de mercadorias. Os transportadores para paletes, por exemplo, permitem mecanizar o movimento interno entre duas áreas diferenciadas para, posteriormente, dar continuidade a uma operação manual. Uma solução dessas características foi implementada na Tadim, multinacional comercializadora de nozes e frutos secos, cujo responsável de Logística afirma: “Ao interligar o armazém e a fábrica com transportadores aumentamos o número de recebimentos em 73%.”

A automatização do transporte de mercadorias também serve para implementar métodos de picking como o goods-to-person (GTP), uma estratégia de preparação de pedidos em que um circuito de transportadores para caixas geralmente transfere a mercadoria para as estações de picking onde os operadores se encarregam de classificá-la de forma manual. No armazém que o Grupo Rossignol possui em Saint-Étienne-de-Saint-Geoirs (França), por exemplo, a instalação de um transportador que interliga a plataforma à área de consolidação e embalagem maximizou o desempenho operacional, permitindo que os operadores preparem até 5.000 pedidos diários.

Em um armazém semiautomático também encontramos soluções de automatização relacionadas à preparação de pedidos. Por isso costumam ser utilizados sistemas de ajuda para picking, como o pick-to-light, um método em que sinais luminosos indicam aos operadores as unidades de produto que devem ser extraídas de cada caixa. Essa é a solução implantada na área de preparação de pedidos de produtos de alta rotatividade do armazém da AS Healthcare em Paris, que é composta por dois blocos de estantes dinâmicas para caixas equipadas com o sistema pick-to-light.

Outro sistema de ajuda que merece destaque é o picking por voz. Através dele os operadores do armazém recebem instruções verbais indicando o que eles devem fazer a todo momento. A empresa de artigos esportivos Decathlon incorporou essa tecnologia em três novos armazéns na Itália para enfrentar a crescente demanda de pedidos online.

Finalmente, a implantação de um Sistema de Gerenciamento de Armazém (WMS) em um armazém convencional também configura um armazém semiautomático, pois combina sistemas de armazenagem, movimentação e transporte manuais com o gerenciamento informatizado do armazém. Um exemplo desse sistema foi implementado na multinacional de alimentos e bebidas Danone, cujo armazém omnichannel na localidade de Valdemoro (Espanha) prepara 700 pedidos diários.

Quando optar por um armazém semiautomático?

Existem diferentes casos em que uma empresa poderia optar por automatizar uma parte de sua operação logística, entre as quais:

  • Otimizar o armazenamento de uma mesma referência. Cenário ideal para a instalação do sistema Pallet Shuttle semiautomático.
  • Aumentar a eficiência do picking. Sistemas de ajuda como o pick-to-light ou o voice picking melhoram o desempenho dos operadores durante os trabalhos de preparação de pedidos enquanto reduzem a probabilidade de cometer erros.
  • Dinamizar o transporte interno de mercadoria. Os equipamentos de movimentação automáticos como os transportadores são altamente recomendados quando é preciso vencer grandes distâncias entre duas áreas ou entre operações diferentes.
  • Melhorar o gerenciamento do armazém. Não é necessário ter um armazém completamente automático para implementar um sistema de gerenciamento. Em um armazém convencional também pode ser realizado um gerenciamento digital das informações graças ao WMS.
 

Nunca é tarde para aumentar o nível de automatização de um armazém, especialmente porque melhora o desempenho dos operadores e a eficiência das operações.

Equilíbrio entre automatização e intervenção humana

O armazém semiautomático é, atualmente, a solução logística preferida pelas empresas que não precisam de um armazém 100% automatizado, principalmente porque não é rentável para elas. Nesses casos, é essencial identificar as operações que podem ser otimizadas através da automatização e as que devem continuar com a execução manual.

Gostou do post de hoje? Então, continue acompanhando nosso blog, siga-nos nas redes sociais e fique por dentro de mais conteúdos como este.

Entre em contato conosco 📞 (35) 3421-4657 ou 📲 (35) 99903-4786 e conheça nossas soluções em logística.

Compartilhe

Deixe um comentário